Dia da Consciência Negra e Diploma Zumbi dos Palmares continuam luta contra racismo

O Dia da Consciência Negra, 20 de novembro, é uma data para se discutir a inserção da pessoa negra na sociedade em suas mais diferentes frentes como na educação, mercado de trabalho, cultura, religião, na mídia e, principalmente, no combate ao racismo e a violência, com maior índice de assassinatos na periferia de grandes cidade que mata jovens negros pela força policial do Estado. Mas muito se tem a celebrar e divulgar no aspecto cultural, religioso e social, resgatando tradições do povo negro.

A Câmara Municipal de Campinas realiza Sessão Solene para homenagear as pessoas envolvidas com o combate ao racismo e a luta na igualdade étnico-racial. Este ano, o vereador Paulo Bufalo (PSOL) homenageia a jovem, Daniela Oliveira da Fonseca, estudante que mora em Campinas desde 2013, quando ingressou no curso de Direito da Pontifícia Universidade Católica (PUC). Daniela começou sua militância no combate ao racismo ao estagiar na Coordenadoria dos Assuntos da População Negra, que depois se tornou a Secretaria Municipal de Promoção da Igualdade Racial de São Paulo. 

A partir daí se inseriu nas lutas dos movimentos sociais de promoção da igualdade racial e dos direitos humanos. Devido a sua área acadêmica atua no projeto social Promotoras Legais Populares – PLP’s, onde mulheres trabalham a favor dos segmentos populares no combate diário à discriminação. Daniela enfrenta o preconceito dentro do espaço universitário por manter os cabelos naturalmente crespos e soltos. Para ajudar no combate à discriminação, ela realiza debates de conscientização da luta pelo respeito às diferenças pela igualdade racial e de direitos.

Sessão Solene Diploma Zumbi dos Palmares

Sexta-feira, 20 de novembro, às 20h

Câmara Municipal de Campinas – Av. Engº Roberto Mange, 66 – Ponte Preta.

MARIJANE_RACISMO_IMAGEM

Programação Municipal em 20 de novrembro

Mais informações: http://www.campinas.sp.gov.br/noticias-integra.php?id=28712

17ª Marcha Zumbi dos Palmares

10h – Realização Comitê 20 de novembro
Estação Cultura (Concentração)

Quilombo Hi-Fi – Reggae, Sound, System

Das 14h às 22h – Secretaria de Cultura

Estação Cultura

VII Sou África em Todos os Sentidos – “Ubuntu – Reinos de Nzinga” – Roda de Jongo

16h – Realização Casa de Cultura Fazenda Roseira

Local: Praça da Mãe Preta

Endereço: Rua Cônego Cipião, 772 – Centro (em frente à Igreja São Benedito)

 

dandara-e-zumbi-300x152

Resistência negra com Zumbi e Dandara

O Dia da Consciência é comemorado em 20 de novembro, em homenagem ao dia da morte do grande líder para o povo negro, Zumbi, que representa a resistência dos escravos no período colonial do Brasil e o espírito guerreira da comunidade negra contra o racismo e violência.

Zumbi e sua companheira Dandara, refugiaram-se no Quilombo dos Palmares, no estado de Pernambuco, atual região de União dos Palmares,em Alagoas. O local era de difícil acesso pela geografia e vegetação densa e o casal participa de muitas batalhas pelo fim da escravidão, da elaboração de estratégias de resistência do quilombo e de atividades cotidianas em Palmares como a caça e a agricultura.

Zumbi nasceu livre em 1655, mas foi capturado e entregue a um colonizador português, aos seis anos de idade, e submetido ao aculturamento imposto pela Igreja Católica, sendo batizado de Francisco e recebendo os sacramentos. Aprendeu português e latim e ainda ajudava diariamente na celebração da Missa.

Em 1678, Zumbi rompe com o líder, Ganga-Zumba, seu tio e primeiro grande chefe do Quilombo de Palmares, após acordo feito com o governo de Pernambuco que não previa o fim da escravidão e sim a submissão à Coroa Portuguesa.

Zumbi foi traído e capturado, após dois anos de intensa batalha, em 20 de novembro de 1695. Teve a cabeça cortada, salgada pelo bandeirante, Domingos Jorge Velho. A cabeça ficou exposta no Pátio do Carmo, em Recife, para desmentir a crença da população sobre a lenda da imortalidade de Zumbi. Mesmo assim, Zumbi tornou-se uma referência de herói para o povo negro.

Dandara, símbolo de mulher forte,foi uma guerreira negra, esposa de Zumbi dos Palmares e com ele teve três filhos. Foi capturada e para não retornar à condição de escrava, suicidou-se, jogando-se num abismo, em 6 de fevereiro de 1694. Não há referência sobre seu nascimento e onde era escrava.

Zumbi (1)

Monumento Zumbi dos Palmares em Salvador – BA

Posted in Noticia and tagged , , .