Presidente estadual do PSOL quer intensificar atividades com o filósofo Vladimir Safatle após filiação

Nesta terça-feira, 8, o presidente do Partido Socialismo e Liberdade (PSOL) do estado de São Paulo, vereador Paulo Bufalo, anunciará oficialmente à Executiva do partido a filiação do professor de filosofia da Universidade de São Paulo, Vladimir Safatle (foto no meio). “Faremos uma avaliação sobre a melhor forma de acolhê-lo e aproveitar sua reconhecida trajetória intelectual e de esquerda nos debates partidários e com a sociedade”, ressalta Bufalo.

O professor efetivou sua filiação no dia 30 de setembro na sede estadual do partido na capital paulista, e foi recebido pelo presidente nacional do PSOL, deputado federal (SP) Ivan Valente (foto à direita), o presidente estadual, vereador Paulo Bufalo, o deputado estadual, Carlos Gianazzi e militantes. “O professor Vladimir têm contribuído com o partido e com a sociedade na construção de uma análise sobre as mobilizações do último período. Ele se identifica com nosso programa que a cada dia se fortalece nos espaços institucionais e nas ruas”, disse Bufalo ao dar boas vindas ao filósofo.

Na opinião de Safatle, o PSOL é uma alternativa de mudança para o país. “Pode não ser o único partido socialista no nome, mas é o único que tem de direito e não temos medo de situações como as que ocorreram em junho. O medo não circula naqueles que defendem o socialismo. Daqui para a frente, nós estamos juntos”, afirmou.

Desde o ato de filiação, Paulo Bufalo e o filósofo, vem mantendo contato. Bufalo convidou Safatle para o 4º Congresso estadual do partido, que ocorre no próximo dia 20 de outubro, na capital. “A presença dele no Congresso é muito significativa para a nossa delegação”, destaca o presidente estadual.

Já no dia 5 de outubro, Vladimir Safatle participou de um debate sobre experiências de governo populares na América Latina, promovida pelo mandato do vereador Paulo Bufalo com os mandatos do vereador Toninho Véspoli, de São Paulo, e do deputado federal Ivan Valente.

Para o deputado, também presidente nacional do partido, o PSOL está crescendo. “Temos uma pequena e expressiva representação no Congresso Nacional, mas fazemos política com ética e coragem. Em São Paulo, combatemos um governo tucano de hegemonia esmagadora e conservadora. Por isso, considero a presença de Safatle como uma forte contribuição, por ser uma referência externa ao partido”, avaliou.

modelo-base

Vladimir Safatle - Vladimir Safatle é filósofo e, desde 2003, professor no Departamento de Filosofia da Universidade de São Paulo, assim como professor convidado em universidades e instituições europeias. Em 2011, passa a ser colunista no jornal Folha de S. Paulo. É comentarista em telejornais ou convidado do programa Roda Viva, na TV Cultura.

Em 2012, nas eleições municipais da cidade de São Paulo, contribuiu com plano de governo do PT, na pasta da cultura. Em 30 de setembro de 2013, filia-se ao Partido Socialismo e Liberdade – PSOL.

Filho dos ex-guerrilheiros da Aliança Libertadora Nacional, Fernando Safatle e Ilmeide Tavares Pinheiro. Safatle nasceu em 03 de junho de 1973, Santiago do Chile. Com a ascensão do ditador Augusto Pinochet ao poder, a família se muda para o Brasil, quando Safatle tinha poucos meses de vida. Primeiro, instalaram-se em Brasília, a partir de 1987, em Goiânia, quando seu pai assumiu o cargo de Secretário do Planejamento no governo de Goiás.

Iniciou a graduação em São Paulo, em 1991. Cursou simultaneamente, publicidade na Escola Superior de Propaganda e Marketing (ESPM) e filosofia na Universidade de São Paulo (USP). Em 1997, concluiu o mestrado em filosofia na USP, em 2002, o doutorado, na Universidade Paris VIII.

Obras

2003 – Um limite tenso: Lacan entre a filosofia e a psicanálise. São Paulo: Editora Unesp.

2004 – O tempo, o objeto e o avesso: ensaios de filosofia e psicanálise. Belo Horizonte: Autêntica.

2006 – Sobre arte e psicanálise. São Paulo: Editora Escuta.

2006 – A paixão do negativo: Lacan e a dialética. São Paulo: Unesp.

2007 – Lacan. São Paulo: Publifolha.

2007 – Ensaios sobre música e filosofia. São Paulo: Editora Humanitas.

2008 – A filosofia após Freud. São Paulo: Humanitas.

2008 – Cinismo e falência da crítica. São Paulo: Boitempo.

2010 – La passion du négatif: Lacan et la dialectique. Hildesheim: Georg Olms Verlag.

2010 – Fetichismo: colonizar o Outro. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira.

2010 – O que resta da ditadura: a exceção brasileira. São Paulo: Boitempo.

2012 – A esquerda que não teme dizer seu nome. São Paulo: Três Estrelas.

Posted in Noticia.