3ª Conferência de cultura traça diretrizes para o setor em Campinas

Encontro elege cinco delegados para Etapa estadual

Campinas traçou diretrizes para o setor cultural em Campinas, na 3ª Conferência Municipal de Cultura, realizada nos dias 09 e 10/08, na Estação Cultura. Com 140 participantes foram eleitos cinco delegados da sociedade civil e mais dois serão indicados pelo secretário da pasta representando o poder público para a conferência estadual, que ocorrerá dias 11 e 12 de setembro, em São Paulo. O vereador Paulo Bufalo (PSOL) participou da abertura e aposta na implantação de política de Estado para fomentar a cultura na cidade.

Outra deliberação da 3ª Conferência Municipal e a criação de uma Comissão Executiva para continuar os trabalhos de organização e de revisão de legislação e demais situações que envolvam melhorias para a cultura como gestão, financiamento e formação de agentes culturais. As reuniões serão mensais e o grupo fará elaboração de documentos.

A cidade quer fazer parte do Sistema Nacional de Cultura – Sinc, que engloba o Plano Nacional de Cultura – PNC. Os debates da Conferência foram divididos em quatro eixos alinhados aos objetivos do PNC: 1) Implementação do Sistema Municipal de Cultura; 2) Produção simbólica e diversidade cultural; 3) Cidadania e diritos culturais; 4) Cultura e desenvolvimento.

Para Campinas estar no programa do Sinc, o orçamento da pasta precisa ser, no mínimo de 2%, atualmente Campinas aplica 1% na área. A secretaria pretende ampliar a percentagem para 3%, a partir de 2014, e incluí-la na Lei de Diretrizes orçamentárias – LOA, que tem até dezembro para ser votada na Câmara.

Abertura

A mesa de abertura teve a presença do secretário municipal, Ney Carrasco, do diretor, Gabriel Rapassi, do assessor do Ministério da Cultura (Minc), Ênio Durante e representando a Câmara, o presidente da Comissão de educação, cultura e esporte, vereador Gustavo Petta (PCdoB). O parlamentar falou da recente minuta sobre fomento às Artes da Cena elaborada pela Comissão de Estudos, presidida por Paulo Bufalo, e entregue à secretaria para análise. O representante do Minc ressaltou o papel do legislativo no avanço da política pública para a cultura. “Precisamos ouvir os movimentos sociais que vêm das ruas, é um processo de democracia que solicita cada vez mais a presença do poder público”, disse.

Posted in Noticia.